Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.

Colossenses 2:14

Por causa desse texto do apóstolo Paulo aos cristãos em Colossos, alguns alegam que a cédula que nos era contrária era a Lei de Moisés. Com a morte de Cristo na cruz, estamos livres da Lei e não mais obrigados a guardar o Sábado. Mas será isso mesmo o que Paulo está nos dizendo?

O termo grego encontrado em Colossenses 2:14 é “cheirographon”. Segundo o Léxico Grego de Strong (Sociedade Bíblica do Brasil), a palavra possui os seguintes significados:

  1. manuscrito, o que alguém escreveu por sua própria mão; 
  2. nota manuscrita na qual alguém reconhece que recebeu dinheiro como depositário ou por empréstimo, e que será devolvido no tempo determinado.

Desse modo, Paulo não está dizendo que a Lei de Deus foi abolida (NUNCA o termo “cheirographon” é traduzido por “Lei”, no grego bíblico) e sim que o relato do pecado – que era contra nós – foi cravado na cruz. Esse relato é simbolizado por uma nota promissória que Jesus pagou, de modo que não mais estamos em débito para com Deus e Sua santa Lei.

Assim, não estamos mais destinados à condenação – demanda legal para todo o pecador (Romanos 6:23). A English Standard Version expressa corretamente o texto ao observar que “Deus [nos] tornou vivos juntamente com Ele, tendo nos perdoado todas as nossas ofensas ao cancelar o relato de débito que se colocava contra nós com suas demandas legais.”

Finalizamos com as palavras de Kenneth L. Gentry Jr., teólogo Presbiteriano:

“O Senhor morreu em termos da Lei por nós. Ele veio ‘para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos’ (Gálatas 4:5; cp. Colossenses 2:14; Hebreus 9:22). De fato, Sua morte enfatizou eternamente a necessidade e a validade da Lei. A Lei não poderia ser posta de lado, nem mesmo para poupar a Cristo. ‘Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?’ (Romanos 8:32; cp. Hebreus 9:22-26). A fé, então, confirma a validade da Lei (Romanos 3:31). Se a Lei não poderia ser desprezada nem mesmo para poupar ao Filho de Deus, como podemos supor que ela será posta de lado para a era do Novo Pacto? Ela é o padrão da justiça de Deus, sendo que a sua infração traz condenação. A Cruz é um testemunho eterno à justiça e contínua validade da Lei de Deus.” 

God’s Law in the Modern World, p. 23-31

Artigos Relacionados

1 Coríntios 16:2 é um texto-prova para a observância do domingo? 1 Coríntios 16:2 é um texto-prova para a observância do domingo?
Quanto à coleta para os santos, fazei vós também como ordenei às igrejas da Galácia. No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte...
Evidências da Observância do Sábado no Cristianismo Primitivo Evidências da Observância do Sábado no Cristianismo Primitivo
Tanto o Novo Testamento quanto a literatura cristã primitiva contêm indicações implícitas e explícitas da existência da guarda do Sábado. Uma...
Hebreus 4, o Sábado e o Descanso Eterno Hebreus 4, o Sábado e o Descanso Eterno
Porque em certo lugar disse assim do dia sétimo: E repousou Deus de todas as suas obras no sétimo dia. E outra vez neste lugar: Não entrarão no...
Quando, Onde e Por Que a Guarda do Domingo Começou? Quando, Onde e Por Que a Guarda do Domingo Começou?
PERGUNTA De acordo com sua investigação, quando, onde e por que o culto no Domingo se originou? RESPOSTA É difícil identificar a origem de...