A Interpretação Adventista sobre as “Três Mensagens Angélicas”

As mensagens dos Três Anjos de Apocalipse 14 são altamente significativas para a Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD). Na declaração de missão oficial da Igreja Adventista do Sétimo Dia, as Mensagens dos Três Anjos são proeminentes:

“A missão da Igreja Adventista do Sétimo Dia é proclamar a todos os povos o evangelho eterno no contexto das mensagens dos Três Anjos em Apocalipse 14:6-12 .” [1]

À primeira vista, isso quase soa como uma declaração de missão típica para qualquer denominação cristã: “proclamar a todos os povos o evangelho eterno”. Isso parece muito bom. Mas então temos essa adição incomum: “no contexto das mensagens dos Três Anjos”. O que isso significa? Essas são “palavras codificadas” que apenas aqueles familiarizados com a denominação ASD entenderiam.

O “contexto das mensagens dos Três Anjos” dá uma guinada totalmente diferente na mensagem do evangelho.

Aqui está o que a Igreja ASD ensina sobre as Mensagens dos Três Anjos:

  1. A mensagem do primeiro anjo foi proclamada em 1843/1844 por meio daqueles que anunciavam o retorno iminente de Jesus. Ellen White, profetisa do Adventismo do Sétimo Dia, escreveu:

“A profecia foi cumprida na primeira e na segunda mensagens dos anjos. Elas foram dadas no momento certo e realizaram o trabalho que Deus planejou realizar por elas.” [2]

“Milhares foram levados a abraçar a verdade pregada por William Miller e servos de Deus foram levantados no espírito e poder de Elias para proclamar a mensagem. ... E quando o Espírito de Deus repousou sobre eles, eles ajudaram a soar o clamor: Temam a Deus e dêem glória a Ele, pois é chegada a hora de seu julgamento.” [3]

A Igreja Adventista do Sétimo Dia traça suas origens na pregação de William Miller, um agricultor que se tornou pregador que reuniu vários textos bíblicos para determinar o tempo do retorno de Cristo. Miller e seus associados percorreram o nordeste dos Estados Unidos alertando as pessoas sobre o retorno iminente de Cristo, reunindo talvez 50.000 seguidores. Depois que Cristo falhou em retornar como previsto em 22 de outubro de 1844, William Miller admitiu que estava errado e a maioria de seus seguidores retornou às suas antigas igrejas. No entanto, alguns grupos de “adventistas” se recusaram a retornar e, em vez disso, procuraram encontrar significado no fracasso. Um desses grupos mais tarde se desenvolveu na Igreja ASD.

Inicialmente, os Adventistas pensavam que o “julgamento” de Apocalipse 14:6 se referia ao julgamento de Deus sobre os iníquos. No entanto, eles finalmente adotaram uma postura diferente, dizendo que o “julgamento” era um julgamento dos justos, não dos iníquos. Para acomodar essa nova visão, a Igreja Adventista do Sétimo Dia mudou o significado da mensagem do primeiro anjo para algo completamente diferente. Em seu livro, “O Grande Conflito”, a profetisa Ellen White, escreve:

“... a mensagem do primeiro anjo, ‘Tema a Deus e dê-Lhe glória; pois é chegada a hora do seu julgamento’, apontava para o ministério de Cristo no Lugar Santíssimo, para o julgamento investigativo, e não para a vinda de Cristo para a redenção do Seu povo e destruição dos iníquos.” [4]

  1. A mensagem do segundo anjo é um chamado para que os cristãos que frequentam igrejas não Adventistas abandonem essas igrejas e se unam à verdadeira igreja remanescente - os Adventistas do Sétimo Dia. Como a Sra. White observou acima, os Adventistas acreditavam que essa profecia foi cumprida em 1844, quando alguns cristãos deixaram suas igrejas para se unirem ao movimento milerita:

“Como as igrejas se recusaram a receber a mensagem do primeiro anjo, rejeitaram a luz do céu e caíram em favor de Deus. Eles confiaram em suas próprias forças e, opondo-se à primeira mensagem, colocaram-se onde não podiam ver a luz da mensagem do segundo anjo. Mas os amados de Deus, que foram oprimidos, aceitaram a mensagem ‘Babilônia caiu’ e deixaram as igrejas.” [5]

“Quando as igrejas rejeitaram o conselho de Deus ao rejeitar a mensagem do advento, o Senhor as rejeitou. O primeiro anjo foi seguido por um segundo, proclamando: ‘Babilônia caiu, caiu, aquela grande cidade, porque ela fez todas as nações beberem do vinho da ira de sua fornicação’. Apocalipse 14:8. Esta mensagem foi entendida pelos Adventistas como um anúncio da queda moral das igrejas em consequência de sua rejeição da primeira mensagem. A proclamação ‘Babilônia caiu’ foi proferida no verão de 1844 e, como resultado, cerca de cinquenta mil se retiraram dessas igrejas.” [6]

As igrejas que rejeitaram a mensagem de William Miller sobre o retorno iminente de Jesus foram rotuladas como “Babilônia”, e a Sra. White nos alerta que foram rejeitadas por Deus por rejeitar a mensagem de William Miller - uma mensagem que não era apenas incorreta, mas uma que seu principal proponente, Miller, mais tarde admitiu que estava errada. Desde 1844, todas as igrejas não Adventistas são “rejeitadas” e o Espírito Santo foi retirado delas:

“Desde a rejeição da primeira mensagem, uma triste mudança ocorreu nas igrejas. Como a verdade é desprezada, o erro é recebido e acarinhado. O amor a Deus e a fé em Sua Palavra esfriaram. As igrejas entristeceram o Espírito do Senhor, e Ele foi em grande parte retirado.” [7]

Ellen White nos diz que os cristãos nas igrejas “nominais” ou fora da IASD não podem ser beneficiados pela intercessão de Cristo, suas orações são inúteis e Satanás agora está no controle deles:

“E, ao rejeitar as duas mensagens anteriores, eles obscureceram seu entendimento, a ponto de não verem luz na mensagem do terceiro anjo, que mostra o caminho para o Lugar Santíssimo. Vi que, como os judeus crucificaram Jesus, as igrejas nominais crucificaram essas mensagens e, portanto, não têm conhecimento do caminho para o Santíssimo, e não podem ser beneficiadas pela intercessão de Jesus ali. Como os judeus, que ofereceram sacrifícios inúteis, eles oferecem suas orações inúteis para o compartimento que Jesus deixou; e Satanás, satisfeito com o engano, assume um caráter religioso e leva a si mesmo a mente desses professos cristãos, trabalhando com seu poder, seus sinais e maravilhas da mentira, para prendê-los em sua armadilha. ... Ele também vem como um anjo de luz e espalha sua influência sobre a Terra por meio de falsas reformas. As igrejas são exaltadas e consideram que Deus está trabalhando maravilhosamente por elas, quando é obra de outro espírito.” [8]

Portanto, todos os avivamentos nos últimos 160 anos, incluindo as cruzadas de Dwight Moody e Billy Graham, são meramente reformas falsas que são obra de Satanás. Ellen White enfatiza este ponto:

“Vi que os misteriosos sinais e maravilhas e falsas reformas aumentariam e se espalhariam. As reformas que me foram mostradas não foram reformas do erro à verdade; mas de mal a pior; para aqueles que professavam uma mudança de coração, apenas vestiam sobre eles uma roupa religiosa, que encobria a iniquidade de um coração perverso. Alguns pareciam ter sido realmente convertidos, de modo a enganar o povo de Deus; mas se seus corações pudessem ser vistos, eles pareceriam mais negros do que nunca.” [9]

A Sra. White ensina que as profecias do Apocalipse sobre “Babilônia” se aplicam especificamente às igrejas protestantes:

“O termo Babilônia, derivado de Babel, e significando confusão, é aplicado nas Escrituras às várias formas de religião falsa ou apóstata. Mas a mensagem anunciando a queda da Babilônia deve se aplicar a algum órgão religioso que antes era puro e se tornou corrupto. Não pode ser a igreja romana que aqui se entende; pois essa igreja está em condições de queda há muitos séculos. Mas quão apropriada é a figura aplicada às igrejas protestantes, todas professando derivar suas doutrinas da Bíblia, mas divididas em seitas quase inúmeras. A unidade pela qual Cristo orou não existe. Em vez de um Senhor, uma fé, um batismo, existem inúmeros credos e teorias conflitantes. A fé religiosa parece tão confusa e discordante que o mundo não sabe em que acreditar como verdade. Deus não está nisso tudo; é obra do homem - obra de Satanás.” [10]

Finalmente, em 1885, a Sra. White deixou claro que os cristãos que não são da Igreja Adventista do Sétimo Dia são piores que os pagãos. No entanto, por uma questão de ganhar não-ASDs para a Igreja ASD, era melhor que os Adventistas fingissem publicamente que os não-ASDs não eram pagãos:

“Não podemos fazer nada que possa fechar o caminho diante de nós neste país, como assumir uma posição de superioridade e apresentar às pessoas que as consideramos pagãs. Na verdade, são piores que pagãos, mas não devemos contar a elas.” [11]

Para resumir as crenças ASD sobre outras denominações cristãs:

  • O catolicismo está “caído”;
  • As denominações protestantes são Babilônia;
  • Deus não ouve as orações de não-Adventistas;
  • Jesus não intercede por não-Adventistas;
  • Reavivamentos não-ASD são falsos;
  • Conversões não-ASD para Cristo não são reais;
  • O Espírito de Deus é em grande parte retirado das Igrejas não-Adventistas;
  • Os cristãos não-ASD são piores que os pagãos.
  1. A mensagem do terceiro anjo é um aviso contra o recebimento da Marca da Besta, que se diz ser a adoração no domingo. De acordo com o cenário final ASD, a última grande batalha entre o bem e o mal será travada sobre o dia de adoração. Aqueles que guardam o sábado do sétimo dia receberão o selo de Deus, enquanto aqueles que guardam o domingo receberão a marca da besta. Segundo os ensinamentos Adventistas, todo o mundo se unirá sob a liderança de Satanás para impor leis dominicais aos Adventistas do Sétimo Dia. À medida que esse cenário assustador se desenrola, as leis dominicais serão aprovadas, exigindo uma sentença de morte para quem se recuse a adorar no domingo. Ellen White explica:

“Como o sábado se tornou o ponto especial de controvérsia em toda a cristandade, e as autoridades religiosas e seculares se combinaram para impor a observância do domingo, a persistente recusa de uma pequena minoria em ceder à demanda popular os tornará objetos de execração universal. ... um decreto será finalmente proferido contra aqueles que santificam o sábado do quarto mandamento, denunciando-os como merecedores do castigo mais severo e dando liberdade ao povo, depois de um certo tempo, para matá-los. O romanismo no Velho Mundo e o protestantismo apóstata no Novo seguirão um caminho semelhante para com aqueles que honram todos os preceitos divinos.” [12]

Após este decreto de morte ser aprovado pelos maus católicos e maus protestantes, Jesus voltará para salvar os santos Adventistas do Sétimo Dia. Então, Ele executará o julgamento descrito em Apocalipse 14:10-11 e enviará fogo para destruir os cristãos que guardam o domingo.

Problemas com a “Verdade Adventista” sobre os “Três Anjos”

  1. Ellen White afirmou que a primeira mensagem do anjo soou em 1844, cumprindo a profecia, mas foi realmente cumprida em 1844?

A Bíblia diz claramente que as mensagens angélicas de Apocalipse 14 deveriam ser proclamadas ....

“... a toda nação, tribo, língua e povo.”

Artigos Relacionados

Jesus Ensina que Deus É Injusto? Jesus Ensina que Deus É Injusto?
Algumas pessoas argumentam a partir da Bíblia que Deus condena as pessoas que rejeitam Sua revelação...
Irregularidades Legais no Julgamento de Jesus Irregularidades Legais no Julgamento de Jesus
Antes de Sua morte, Jesus passou por seis julgamentos: três judaicos (perante o Sinédrio, Caifás e...
A Depravação da Humanidade A Depravação da Humanidade
Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que...
Sobre o erro n°13 - a negação da responsabilidade do homem diante de Deus
A crença na reencarnação produz uma atitude cômoda diante das maldades: posso fazer porque vou pagar...

A mensagem milerita da breve volta de Cristo foi entregue a todas as nações, tribos, línguas e pessoas em 1844?

Não de acordo com Joshua V. Himes. Ao lado de William Miller, Joshua Himes foi o principal líder do movimento de 1844. Ninguém estava em melhor posição para avaliar o progresso do movimento de 1844 do que o Élder Himes. Observe com atenção o que Himes escreveu após o Grande Desapontamento:

“... o clamor do sétimo mês foi local e parcial. Estava confinado a este país …” [13]

Himes continuou no artigo dizendo que o “clamor” não produziu efeito algum na Europa. Himes sabia do que estava falando. Ele dirigiu esse movimento. Ele havia viajado por todo o nordeste dos Estados Unidos promovendo o movimento. Ele estava em contato com a Inglaterra. Se alguém estava em posição de avaliar o progresso do movimento, era Himes. [14]

Os fatos históricos mostram que o movimento milerita estava em grande parte confinado ao nordeste dos Estados Unidos. Há poucas evidências de que alguma vez tenha penetrado muito no sul ou oeste dos Estados Unidos, e muito menos no mundo inteiro! Havia um pequeno interesse na mensagem no sudeste do Canadá e talvez entre 2.000 e 3.000 seguidores na Grã-Bretanha. Havia um punhado de crentes em alguns lugares dispersos na Europa, mas a mensagem realmente só pegou no nordeste dos Estados Unidos, onde recebeu talvez 50.000 adeptos.

Embora a mensagem tenha sido levada a algumas estações missionárias, é uma falsidade completa afirmar que essa foi uma mensagem mundial que foi enviada a todas as nações, línguas e pessoas! Em 1844, havia aproximadamente 1.250.000.000 de pessoas vivendo na Terra. Há pouca ou nenhuma evidência de que essa mensagem tenha chegado aos seguintes povos:

  • 17 milhões no sul dos EUA e oeste dos EUA/Canadá;
  • 110 milhões na África (isso foi antes de David Livingstone abrir a África);
  • 36 milhões na América Latina e no Caribe;
  • 800 milhões na China, Japão, Filipinas, Sudeste Asiático, Índia, Paquistão e Oriente Médio;
  • 275 milhões na Rússia e no resto da Europa.

Das 1,25 bilhão de pessoas no mundo, apenas aproximadamente 12 milhões no nordeste dos Estados Unidos, sudeste do Canadá e Londres tiveram a oportunidade de ouvir a pregação milerita e não há como dizer quantas delas realmente ouviram a mensagem. Portanto, menos de 1% da população mundial teve chance de ouvir a mensagem de Miller - quase todos que falavam inglês! Mesmo no ano de 2013, a mensagem do Evangelho ainda não penetrou em todos os grupos de idiomas do mundo. Como uma mensagem que alcançou menos de um por cento da população mundial - principalmente falantes de inglês - pode ser o cumprimento de uma profecia que deveria ser aplicada a “todas as nações, tribos, línguas e pessoas”? O Movimento de 1844 não poderia ter cumprido as mensagens do primeiro e do segundo anjos de Apocalipse 14, que descrevem uma mensagem mundial que atinge todas as nações, todas as línguas e todos os grupos étnicos!

  1. Qual é o julgamento da mensagem do primeiro anjo?

Em 1844, os mileritas proclamaram que a hora do julgamento de Deus, conforme descrito em Apocalipse 14:7, havia começado: “Tema a Deus e dê-lhe glória; pois é chegada a hora do seu julgamento”. O que eles entenderam ser esse julgamento? Eles entenderam que era o julgamento de Deus sobre os iníquos. Esta é a única interpretação válida possível do texto de Apocalipse 14. O julgamento de Deus sobre os iníquos é o ponto focal de todo o capítulo.

O “julgamento” anunciado pelo primeiro anjo em Apocalipse 14:7 refere-se à ira de Deus sendo visitada sobre os ímpios. A ira do julgamento é então descrita de maneira potente nos versículos subsequentes do capítulo. Foi isso que todos os mileritas ensinaram e acreditaram.

Depois de 1844, no entanto, os Adventistas enfrentaram um dilema. A ira de Deus não começou como esperado em 1844. Como eles poderiam continuar reivindicando que a Mensagem do Primeiro Anjo havia sido cumprida quando o julgamento sobre os iníquos não ocorreu? Para explicar esse fracasso óbvio, eles inventaram uma teoria de que o julgamento se referia a um julgamento investigativo que ocorreu no céu, não na Terra. O juízo investigativo, em vez de ser uma execução da justiça sobre os iníquos, prevê um procedimento na sala do tribunal em que Deus pondera o destino de toda alma e toma uma decisão sobre cada caso. Essa investigação da “sala da corte” não é encontrada em nenhum lugar em Apocalipse 14. No entanto, os Adventistas adotaram esse ensino porque, apesar de violar o contexto da passagem, permitiu que eles tivessem um “julgamento” iniciado em 1844, enquanto ao mesmo tempo lhes permitia continuar reivindicando que as primeiras duas mensagens dos anjos já soaram.

É impossível uma pessoa sentar-se com sua Bíblia, ler Apocalipse 14 e apresentar um julgamento investigativo. Se houver alguma dúvida, leia as seguintes citações e faça a si mesmo esta pergunta: Esses versículos descrevem um julgamento investigativo semelhante ao da sala dos tribunais ou eles descrevem a execução de um julgamento de ira contra os pecadores?

  1. 10 - “bebida do vinho da ira”
  2. 10 - “cálice de Sua indignação”
  3. 10 - “será atormentado com fogo e enxofre”
  4. 11 - “a fumaça de seu tormento ascenderá”
  5. 19 - “jogou-o no grande lagar da ira de Deus”
  6. 20 - “lagar foi pisoteado”
  7. 20 - “sangue saiu do lagar”

Como esses versículos poderiam estar descrevendo um julgamento investigativo??? O fato de Apocalipse 14 estar descrevendo um julgamento sobre os iníquos é mais uma prova de que a primeira e a segunda mensagens dos anjos não foram cumpridas em 1844.

  1. Todas as igrejas protestantes são Babilônia?

O aspecto mais assustador do Adventismo do Sétimo Dia é o tratamento de outras denominações cristãs. Segundo o Adventismo, as igrejas não Adventistas cometeram o terrível erro de rejeitar William Miller. Portanto, Deus as rejeitou, suas orações são “inúteis” e estão sob a influência de Satanás. É espantoso tentar entender a total falta de bom senso nessa filosofia! Primeiro, as igrejas protestantes estavam absolutamente corretas ao rejeitar as datações de Miller para o retorno de Cristo. Esses cristãos não rejeitaram William Miller porque não amavam a Cristo ou não queriam que Ele voltasse. Eles rejeitaram William Miller por quatro razões muito boas:

  1. Cristo declarou claramente: “Mas daquele dia e hora ninguém conhece, nem os anjos do céu, mas somente meu Pai.” (Mateus 24:36)
  2. A definição de datas é um dispositivo que o diabo usa para estimular o fanatismo e sempre termina em decepção e fracasso.
  3. A mensagem do evangelho ainda não havia penetrado nem na metade do mundo. Jesus havia dito: “E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo para testemunho a todas as nações; e então virá o fim.” (Mateus 24:14)
  4. Muitas profecias da Bíblia ainda não haviam sido cumpridas em 1844.

Essas são algumas razões bíblicas bastante fortes para rejeitar o milerismo! Os protestantes estavam absolutamente certos em rejeitar Miller. Então, por que Deus os puniria por serem corretos? Por que Deus rejeitaria as igrejas protestantes quando elas estavam certas e os Adventistas eram os que estavam errados?

Nos últimos 160 anos, os Adventistas investiram a grande maioria de seus esforços e recursos para recrutar membros de outras igrejas cristãs. Em mais de uma ocasião, foi relatado que os missionários ASD, em vez de tentar converter os pagãos, tentaram conquistar conversos de nativos que já eram convertidos ao Cristianismo através dos esforços de outros missionários que não são da IASD. Isso ocorre porque os Adventistas vêem todas as outras igrejas como “caídas” ou “Babilônia” e vêem como sua missão especial chamar as pessoas para fora da Babilônia. Esse ensino distorce seriamente o propósito da mensagem do Evangelho.

  1. Qual é a terceira mensagem?

Ellen White deixa muito claro que a missão da Igreja Adventista do Sétimo Dia é recrutar crentes das igrejas guardadoras do domingo para que eles não recebam a Marca da Besta. A Sra. White escreve:

“... as igrejas foram deixadas como os judeus; e elas têm se enchido com toda ave imunda e detestável.  Vi grande iniquidade e vileza nas igrejas; no entanto, elas professam ser cristãs. Sua profissão, suas orações e suas exortações são uma abominação aos olhos de Deus. Disse o anjo, Deus não aspirará em suas assembléias. O egoísmo, a fraude e o engano são praticados por elas sem as reprovações da consciência. E sobre todos esses traços malignos elas jogam a capa da religião. Foi-me mostrado o orgulho das igrejas nominais. Deus não estava em seus pensamentos; mas suas mentes carnais habitam sobre si mesmas. Decoram seus pobres corpos mortais e depois se olham com satisfação e prazer. Jesus e os anjos os encararam com raiva. Disse o anjo: Seus pecados e orgulho chegaram ao céu. A parte delas está preparada. A justiça e o julgamento ficaram adormecidos por muito, mas logo acordarão. A vingança é minha, e eu retribuirei, diz o Senhor. As terríveis ameaças do terceiro anjo devem ser realizadas, e elas beberão a ira de Deus. Uma série de inúmeras anjos maus estão se espalhando por toda a Terra. As igrejas e os corpos religiosos estão lotados com eles.” [15]

Observe a avaliação de Ellen White de igrejas que não ASD:

  • Elas foram rejeitados por Deus, assim como os judeus foram rejeitados;
  • Elas estão cheios de vileza;
  • Suas orações são uma abominação;
  • A presença de Deus se foi de suas assembléias;
  • Jesus e os anjos estão zangados com elas;
  • Elas sofrerão a ira de Deus;
  • Elas estão cheios de anjos maus.

Em vez de ver o comunismo, o ateísmo, o paganismo e o Islã como grandes ameaças à sua liberdade religiosa, os Adventistas do Sétimo Dia vêem os outros cristãos como a principal ameaça à sua liberdade e os consideram sob a influência de Satanás. Muitos indivíduos desavisados ​​não são informados disso de antemão durante as cruzadas evangelísticas ASD. Só mais tarde eles descobrem o incrível fanatismo e animosidade de uma igreja que mantém todas as outras igrejas cristãs sob o maior desprezo. Por medo de má publicidade, esses ensinamentos não são promovidos com destaque pela Igreja Adventista do Dia de hoje, mas são, no entanto, a base da filosofia da igreja. É esse “contexto” que distorce a apresentação ASD da mensagem do Evangelho.

De fato, alguém pode questionar o quanto a Igreja Adventista do Sétimo Dia está comprometida com a mensagem do Evangelho. Pela própria admissão da igreja, a organização foi apanhada nas cadeias do legalismo pelos primeiros 25 anos de existência. Um estudioso Adventista lamenta:

“Nos primeiros sermões, livros e periódicos Adventistas do Sétimo Dia, há pouca menção à justificação pela fé e à salvação pela graça.” [16]

Não foi até 1888 que a mensagem da Justificação pela Fé foi ensinada com destaque na Igreja Adventista do Sétimo Dia por AT Jones e EJ Wagoner. Mesmo assim, alguns dos principais irmãos lutaram contra a mensagem, e ainda hoje está sendo debatido se a igreja já a aceitou totalmente. É espantoso que a IASD possa afirmar que todas as outras igrejas são lideradas por Satanás, quando foram essas mesmas igrejas que pregavam um verdadeiro entendimento da principal doutrina cristã - Justificação pela Fé - por um quarto de século enquanto a IASD estava apanhada nas cadeias do legalismo!

A Verdade Bíblica sobre os Três Anjos

  1. A verdade bíblica sobre as Mensagens dos Três Anjos é bastante simples. Primeiro, essas mensagens são entregues por anjos. Não há razão para acreditar que essas mensagens sejam entregues por um grupo de humanos ou por rádio, ondas curtas, satélite ou qualquer outro método humano.

A primeira mensagem anuncia que as boas novas eternas vão para todas as nações, povos, línguas e pessoas. A mensagem do Evangelho começou durante a vida de Cristo e tem se espalhado por todo o mundo para todas as nações, povos, línguas e pessoas. No fim dos tempos, esse anjo anuncia que chegou a hora do julgamento, mas esse não é um julgamento dos justos. Não há nenhum indício em Apocalipse 14 de um julgamento sobre os justos. O julgamento é um julgamento de vingança e punição. No livro de Apocalipse, as almas dos mártires são ouvidas clamando por vingança:

Até quando, ó Senhor, santo e verdadeiro, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam na terra?

Apocalipse 6:10

Os ímpios estão prestes a encher seu cálice de ira, e o Senhor Jesus retornará à Terra para punir os habitantes por suas iniqüidades e obter vingança pelo sangue dos mártires. 

  1. A segunda mensagem nos diz que Babilônia caiu. A Bíblia identifica muito claramente quem é Babilônia. Em Apocalipse 18 Babilônia é descrita como uma mulher que comete fornicação com os reis da terra (Apocalipse 18:3). Isso só poderia se referir à “prostituta” de Apocalipse 17 Apocalipse 17:18 diz que a “prostituta” é “aquela grande cidade”. [17] A “grande cidade” é identificada em Apocalipse 11:8 como a cidade onde “nosso Senhor foi crucificado”. Todos os cristãos concordam que Jesus foi crucificado em Jerusalém. [Nota do Tradutor: Outros comentaristas entendem que a “Grande Babilônia” seja a cidade de Roma, a capital imperial]
  2. A terceira mensagem é um aviso contra o recebimento da Marca da Besta. Ao contrário dos ensinamentos ASD, isso não tem nada a ver com um dia de adoração. Mas esse tema será tratado em outro estudo.

Conclusão

O Adventismo do Sétimo Dia elevou uma passagem obscura e facilmente incompreendida no livro do Apocalipse a uma posição de importância primordial para a igreja deles. Infelizmente, eles interpretaram mal o significado dessa passagem, resultando em uma compreensão distorcida de seu relacionamento com outras igrejas cristãs. Percebendo o absurdo de sua posição, os evangelistas Adventistas relutam em revelar seu entendimento do significado dessa passagem àqueles que estão recrutando para ingressar na igreja. No entanto, uma vez na igreja, os novos Adventistas são doutrinados a ver outras igrejas cristãs como “Caídas”, “Babilônia” ou “Protestantismo Apostado”. Enquanto Jesus orava pela unidade entre os crentes (João 17:22), os Adventistas procuram criar uma barreira entre as crenças cristãs, alegando que as orações de não-Adventistas não são ouvidas por Jesus, porque as orações não-Adventistas estão subindo para o Lugar Santo, enquanto Jesus se mudou para o Lugar Santíssimo. Tal sectarismo é contrário ao Evangelho e ao Espírito de Cristo.

Notas

  1. SDA Mission Statement, 21 de dezembro de 2008, http://www.adventist.org/world_church/name_mission/index.html.en.
  2. Ellen White, Early Writings, p. 235.
  3. Ellen White, Spiritual Gifts, vol. 1, p. 134.
  4. Ellen White, The Great Controversy (1911), p. 424. Veja também Life Sketches Manuscript, p. 112.
  5. Ellen White, Early Writings (1882), p. 237.
  6. Ellen White, Ellen White, The Story of Redemption (1947), p. 364-65.
  7. Ibid., p. 366.
  8. Ellen White, Early Writings (1882), p. 260.
  9. Ellen White, The Present Truth, August 1, 1849.
  10. Ellen White, The Spirit of Prophecy Volume 4 (1884), p. 232-233.
  11. Ellen White, Manuscript Releases, Volume 17, p. 334 (1885).
  12. Ellen White, The Great Controversy (1911), p. 615-616.
  13. Joshua V. Himes, The Morning Watch, 20 de fevereiro de 1845.
  14. Ibid. Nota: Seu testemunho é certamente mais confiável do que o de Ellen White, que era, afinal, apenas uma adolescente de 17 anos em 1844.
  15. Ellen White, Spiritual Gifts, Vol. 1 (1858), pp. 190-191.
  16. Arnold Valentin Wallenkampf, What Every Adventist Should Know About 1888, (Washington, DC, 1988), p. 10.
  17. O apóstolo Pedro também pode estar fazendo alusão a Roma, quando ele usa o termo “Babilônia” em 1 Pedro 5:13.

 

Traduzido a partir de: <https://www.nonsda.org/study1.shtml>.

Artigos Relacionados

Como o sábado se tornou uma doutrina Adventista? Como o sábado se tornou uma doutrina Adventista?
Quem primeiro guardou o Sábado depois da Reforma Protestante?  Adventistas ou Batistas do Sétimo Dia...
A Mentira Branca A Mentira Branca
A obra “The White Lie” (A Mentira Branca), de autoria do ex-pastor Adventista Walter Rea, foi...
A Verdadeira Adoração A Verdadeira Adoração
Habite ricamente em vocês a palavra de Cristo; ensinem e aconselhem-se uns aos outros com toda a...
A Nuvem Branca por Dirk Anderson A Nuvem Branca por Dirk Anderson
Nuvem Branca é um livro escrito por Dirk Anderson, um ex-adventista americano, preocupado em mostrar...

Envie suas perguntas